terça-feira, 7 de outubro de 2008

...to be continue

...

Pegou-a pela mão,
com paciência foi mostrando como tudo funcionava
um pé após o outro
bem como
um pé por ano

Assim tudo acontecia
aos poucos ela crescia,
cresceu sendo a última a ser deixada

O porto-seguro,
o coração bandido que arde,
que arde ao derreter...

Suas mãos não necessitam mais serem seguras
Agora ela É segura,
Saiu da Terra do Nunca
e finalmente tirou os pés do chão...

por Kézia
04/10/2008


P.S.: E tudo continua...assim como a vida...

2 comentários:

Heygon disse...

"Suas mãos não necessitam mais serem seguras
Agora ela É segura,
Saiu da Terra do Nunca
e finalmente tirou os pés do chão..."

bem em contradição com o outro poema...
mas... legal esse...

^^
bj bj
te gosto

Rafa disse...

terra do nunca...
qria voltar lá...

tá foda ser grande!! =/