quinta-feira, 26 de julho de 2012

“A mais carinhosa também é a mais bruta, a mais inteligente é ao mesmo tempo a mais sensível, a mais bonita é a mais emburrada, a mais esperta é ao mesmo tempo a mais mundo da lua, a mais bem humorada também é a mais chorona, a mais falante é ao mesmo tempo a mais secreta, a mais velha é ao mesmo tempo a mais moleca, a mais moça também é a mais madura uma não vive sem a outra, e eu não vivo sem as duas.”

—     Martha Medeiros

domingo, 8 de julho de 2012

Coração Gelado

Quem se lembra dos ursinhos carinhosos?


Eu estava pensando nesse desenho, mais precisamente no Coração Gelado.
Acho que sou meio que como ele, ele era mau, mas às vezes se deixava derreter um pouquinho.

Hoje eu não me vejo mais como MAU, já 'cresci' o sufiente para perceber que eu sou muito mais boba e melhor do que eu imaginava.
Porém, tenho consciência também de que o meu mau do coração não é a maldade, não, eu não tenho sopro no coração, o mau está ligado ao...a...é, não encontro uma palavra para descrever...
É um sentimento de pesar, pesado, difícil de carregar, aquela coisa que aperta, sufoca, me fecha, me aperta, e eu termino sempre sem voz e com lágrimas nos olhos.

E daí que eu escuto sempre o seguinte: Você tem que abrir o seu coração!!
Eu repondo perguntando, me perguntando: COMO?!?!?!

E termina assim...