segunda-feira, 24 de março de 2008

O difícil era finalmente ela aceitar que era mesmo meio esquisita, que era a pessoa mais diferente que podiam conhecer, que estava ali se sentindo extremamente insegura mas não daria nunca o braço a torcer, e que, fora raros momentos em que os outros ficavam mais loucos ou ela mais normal - o que também a deixaria deslocada - ela se sentiria sozinha mesmo. E ponto. Não haveria mais nada a fazer...

Tati - Com algumas muitas adaptações da Kézia =)

Nenhum comentário: