terça-feira, 15 de abril de 2008



Eu: "...uma parte que não cabe..."
Ela: "...a parte que falta..."

Tem uma música que diz "quero você inteira e a minha metade de volta...."

Duas interpretações possíveis:

1ª - Um inteiro + 1/2 (uma metade)
Ela foi e levou a metade dele junto, ele quer tudo, ela e o que levou, assim ficam os dois juntos e inteiros novamente.

2ª - Um inteiro = 1/2 (a metade) de um todo
Essa interpretação me leva de volta a pergunta inicial...e mais... Como pode um inteiro ser meio, sendo inteiro? Como pode o meio ser inteiro, sendo meio?

"Como roubar um coração?" esse é o nome de uma crônica, que, para ser sincera, não me recordo quem seja o autor. É uma dessas conhecidas, que todos já escutaram nem que seja um pedacinho ou uma interpreção qualquer, enfim, não vem muito ao caso...
Ela diz que...
"Para roubar um coração não é necessário que roube-o por inteiro, somente a metade, pois, assim, a outra metade virá, por conta própria, querendo se completar, no fim, encontrará sua metade, mas já estará completo com a parte do outro coração. Então, ambos os corações só estarão completos 'por inteiro' quando juntos"

Ela me disse que um dia ainda vou entender o que isso tudo quer dizer...entender, não, sentir...

"Nós somos um, mas não somos os mesmos" (One Love)

"Talvez, se você entedesse o que está acontecendo, poderia me explicar..."

E é isso...
Talvez um dia, quem sabe?!

Um comentário:

Naty disse...

É tudo muito relativo, nada é certo, nada é entendivel, nada é explicavel. Por isso deixa rolar e aproveita o agora.
Beijosss