segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Tem um verso (do meu poema preferido, por sinal) que diz:

" (...)
hoje, para encontrá-la, quase não vim
era o medo covarde desse desenlace
(...) "

Medo covarde, maior do que a dor do desenlace é a dor que arde desse medo tãaaaao covarde

Nenhum comentário: