segunda-feira, 9 de março de 2015

Equidade

Equidade: tem muito mais a ver com justiça do que com igualdade.

Durante uma aula sobre planejamento estratégico entramos nessa questão. (sabe Deus como, entramos)
Não é tratar mulheres como homens, a questão é tratar mulheres como mulheres e homens como homens.
A mulher é sim fisicamente mais fraca e mais frágil que o homem.
Não dá para colocá-la em um trabalho braçal e pedir que ela renda e dure o mesmo tempo que um homem.

Gennnnnte, para mim é inconcebível um homem ficar de braços cruzados vendo uma mulher trocar o pneu de um carro só para provar que não são só direitos, mas deveres iguais.
Não é só uma questão de gentileza um homem trocar o pneu, é uma questão física, ele é fisicamente mais apto a agir naquela situação.

Eu não estou dizendo que o homem é inferior a mulher, cada um tem o seu lugar e ambos se completam.

Não defendo queimar sutiã, não quer usar, não usa.

O que não é justo é a coisificação da mulher, que não tem o direito de não usar o sutiã porque corre o risco de ser atacada na rua, é observada pelas próprias mulheres, rotulada por pessoas e obrigada, mesmo que com uma violência psicológica, a vestir de volta o seu sutiã.


E para complementar esse texto, eu resolvi adicionar o comentário que o Gustavo fez que só mostra o quanto devemos somar para melhorar:

"O que eu acho que não faz muito sentido no feminismo é a história de as mulheres estarem buscando o direito de cometer os mesmo erros que os homens como, por exemplo, o de ser o garanhão da balada. Cada um tem o direito de ser livre e ficar com quem quiser, mas no momento em que você se apega a um modelo equivocado, no caso o da tal da coisificação, o generaliza, e homens e mulheres se tratam como meros objetos, acho que a coisa começa a retroagir ao invés de progredir; a coisificação é típica da escravidão.
Quanto a homens e mulheres serem diferentes, ontem eu ouvi a seguinte historinha: o que é melhor para fazer feijão, a água ou o fogo?? Homens e mulheres tem que se complementar, e o primeiro passo é parar com essa briguinha de quem é melhor que quem. Não tem como comparar, oras, tanto a água como o fogo são essenciais para que o feijão fique pronto.
Queria comentar, também, a história do pneu. Concordo que é praticamente obrigação de um homem ajudar uma mulher a trocar o pneu, mas não só a mulher, mas qualquer um que necessite de ajuda, como um idoso, por exemplo. O que acontece é que, em 90% dos casos, o homem "ajuda" a mulher apenas com o intuito de levá-la pra cama, como se fosse uma espécie de pagamento devido por ela. Essa questão é muito ampla e complicada...as pessoas deveriam ajudar umas as outras, de forma altruísta, o famoso dar sem esperar nada em troca. Mas o que na verdade reina, hoje em dia, é o puro egoísmo. "

3 comentários:

Gustavo disse...

O que eu acho que não faz muito sentido no feminismo é a história de as mulheres estarem buscando o direito de cometer os mesmo erros que os homens como, por exemplo, o de ser o garanhão da balada. Cada um tem o direito de ser livre e ficar com quem quiser, mas no momento em que você se apega a um modelo equivocado, no caso o da tal da coisificação, o generaliza, e homens e mulheres se tratam como meros objetos, acho que a coisa começa a retroagir ao invés de progredir; a coisificação é típica da escravidão.
Quanto a homens e mulheres serem diferentes, ontem eu ouvi a seguinte historinha: o que é melhor para fazer feijão, a água ou o fogo?? Homens e mulheres tem que se complementar, e o primeiro passo é parar com essa briguinha de quem é melhor que quem. Não tem como comparar, oras, tanto a água como o fogo são essenciais para que o feijão fique pronto.
Queria comentar, também, a história do pneu. Concordo que é praticamente obrigação de um homem ajudar uma mulher a trocar o pneu, mas não só a mulher, mas qualquer um que necessite de ajuda, como um idoso, por exemplo. O que acontece é que, em 90% dos casos, o homem "ajuda" a mulher apenas com o intuito de levá-la pra cama, como se fosse uma espécie de pagamento devido por ela. Essa questão é muito ampla e complicada...as pessoas deveriam ajudar umas as outras, de forma altruísta, o famoso dar sem esperar nada em troca. Mas o que na verdade reina, hoje em dia, é o puro egoísmo.

Kézia disse...

Então, eu não sei se na verdade esse é o verdadeiro feminismo, nem cheguei a falar em feminismo propriamente dito por nao conhecer quais são os verdadeiros ideais dessa causa. Eu sei o básico que todo mundo sabe, mas até que ponto esse básico é verdadeiro e até que ponto é influenciado por algo maior, manipulação em massa.

Bem o que eu sei é que certas atitudes atuais (que eu acho que antes existiam também, só eram um pouco mais mascaradas, como o post anterior) são erradas, tanto para homens quanto para mulheres e é isso aí.

Gustavo disse...

Será que todo mundo sabe esse básico?
O que é certo e o que é errado?